Página inicial
Quem somos
Quem é nossa cobertura
Galeria de fotos
Galeria de vídeos (novo)
Sites que indicamos
Downloads
Livro de visitas
Fale conosco
Dicionário Bíblico
Artigos/ Estudos
A Rota do Sucesso
Agenda
Aliança e Cobertura Esp.
Casamento
Colaboração/Propósito
Coluna dos adoradores
Como adquirir o CD
Contatos e Convites
Dinâmica / Quebra Gelo
Discografia/Composição
Espaço Mulher
Estudos do Ap.Osmarino
Festas Bíblicas
Homens de Verdade
Igrejas Sob cobertura
Liderança
Missões
Músicas Cifradas
Notícias
Peças Teatral
Redes Sociais
Reflexões/ Meditações
Release / Ap. Osmarino
Seitas e heresias
Seminários
Símbolos Judaicos
Teologia/Hist. Igreja
Visão Celular/Estudos
Bíblia Online
Escolha o Livro
Capítulo Versículo
Palavra(s):
Estatísticas
1854 estudos publicados
1 abençoado(s) conectados
13 colunistas - 232 fotos
224691 acessos


Onze Dias até Cades- Barnéia

Tipo: Estudos do Ap.Osmarino / Autor: Ap. Osmarino Araújo

ONZE DIAS ATÉ CADES-BARNÉIA

O CAMINHO PARA A NOSSA CONSAGRAÇÃO

TEXTO: Deuteronômio 1:2 “Jornada de onze dias há desde Horebe, pelo caminho da montanha de Seir, até Cades-Barnéia”.

INTRODUÇÃO: Moises disse, que Deus deu uma direção definitiva e decisiva para o povo. Com isto, o Eterno indicou a rota do futuro, do destino deles. É maravilhoso sabermos que Deus sempre terá a direção para o futuro e destino de Seu povo. No texto a cima, o destino do povo era Cades-Barnéia. Um lugar, que em hebraico é: “Ser santo ou consagrado”, no sentido de ser preparado, ser dedicado, ser sagrado. Cades-Barnéia era um lugar necessário para o povo, porque era um oásis no meio do deserto. Veja que Deus sempre procura direcionar Seu povo aos lugares que podem lhe trazer alimento, conforto, vida, segurança, esperança.

É evidente que o propósito do Senhor era dirigir o Seu povo diretamente a sua herança prometida, e, Cades-Barnéia seria o portão de entrada à terra da promessa. Isto nos ensina que o Eterno tem um destino, separado e consagrado para o Seu povo. A nossa terra prometida, tem uma porta de entrada, e esta, se chama obediência e submissão. Para isto, temos que estar atentos à voz de comando do Senhor.

Deus disse que a jornada até ao lugar que Ele havia separado, preparado e consagrado para o Seu povo, era de apenas onze dias de caminhada, um pouco mais de uma semana, porém, estes onze dias se transformaram em 40 anos de peregrinação, de montanha em montanha, de vale em vale, de deserto em deserto. É muito triste saber que uma viagem que seria de onze dias, prolongou-se por quarenta anos, e o pior, é que muitos morreram pelo caminho sem se quer provar do melhor que havia na terra da promessa.

Quantas pessoas, neste tempo, estão prolongando suas jornadas às promessas de Deus, por causa da desobediência, da teimosia, da rebeldia, da murmuração e da incredulidade. Neste estudo, denunciaremos os fatores negativos, responsáveis por essa realidade.

1. O INÍCIO DA JORNADA

Em Números 10 começamos a traçar a primeira jornada dos israelitas desde Horebe (Sinai) até Cades-Barnéia. Números 10:33 “Partiram, pois, do monte do SENHOR caminho de três dias; a arca da Aliança do SENHOR ia adiante deles caminho de três dias, para lhes deparar lugar de descanso. 34 A nuvem do SENHOR pairava sobre eles de dia, quando partiam do arraial. 35 Partindo a arca, Moisés dizia: Levanta-te, SENHOR, e dissipados sejam os teus inimigos, e fujam diante de ti os que te odeiam. 36 E, quando pousava, dizia: Volta, ó SENHOR, para os milhares de milhares de Israel”.

O inicio da nossa jornada espiritual, em fé, com Deus, em obediência e submissão é sempre maravilhoso, com temor e zelo. Quando caminhamos debaixo da direção do Eterno, Ele vai à nossa frente dissipando os nossos inimigos e repousando sua mão protetora sobre nós. Vemos Seu amor, Sua graça, Sua misericórdia sobre nós. Porém, é no decorrer da nossa jornada com Deus e com destino ao projeto que Ele tem para a nossa vida, que iremos revelando o que realmente está em nosso coração, nosso caráter, nossa alma, nosso interior em relação a Ele.

Assim aconteceu com o povo que saiu de Horebe com destino a Cades-Barnéia. No inicio foi maravilhoso mais, no decorrer dos dias, o coração do povo foi sendo revelado. A grande questão não é o começo da nossa vida cristã, mas, a caminhada na vida cristã. A intensidade e dedicação, com que começamos a servir a Deus é menos importante, do que como continuaremos e terminaremos os nossos dias servindo ao Senhor.

2. LINGUA MURMURADORA

Durante a viagem, o povo começou a murmurar e se queixar porque não tinham carne para comer (Números 11: 1 “Queixou-se o povo de sua sorte aos ouvidos do SENHOR; ouvindo-o o SENHOR, acendeu-se-lhe a ira, e fogo do SENHOR ardeu entre eles e consumiu extremidades do arraial. 2 Então, o povo clamou a Moisés, e, orando este ao SENHOR, o fogo se apagou”). Aqui o povo deu a mão à murmuração, a qual passou a ser a sua mentora. A murmuração acende o fogo da ira de Deus sobre os murmuradores e consome seu arraial. Acaba com tudo o que conquistou, tudo o que construiu, tudo o que realizou. Os murmuradores não têm um futuro brilhante. Veja que a murmuração fechou os canais das bênçãos e da bondade de Deus sobre o povo.

Murmuração é reclamação de tudo, insatisfação com tudo, desprezar a tudo, rejeitar a tudo, falar mal de tudo. Saiba que assim como, bendizer sobre algo, se torna uma chave para abrir os portais das bênçãos, murmurar, se torna uma chave para fechar os canais das conquistas.

Então podemos ver que a murmuração é fator negativo na caminhada de uma pessoa com Deus. Porque Deus não se alia aos murmuradores. É engano, pensar que Deus entrega um futuro promissor a uma pessoa que vive murmurando. Os murmuradores cancelam a sua entrada para um futuro abençoado por Deus.

Se você quiser ter um futuro de conquistas, abandone a murmuração e a companhia dos murmuradores. Saiba que a murmuração fecha o entendimento e cega espiritualmente a pessoa em relação à bondade, à fidelidade e às bênçãos que o Eterno já lhe proporcionou.

3. A MENTE POPULACHA E UMA JORNADA DE MURMURAÇÃO

O alimento da murmuração na vida de uma pessoa ou de um povo é a insatisfação, a falta de discernimento, a ingratidão, uma mente presa aos costumes do passado; ensinos que alimentaram e formaram um padrão psicológico nas pessoas, os hábitos do ambiente onde foram criadas ou submetidas, isso tudo geram uma língua murmuradora. Números 11:4 “E o populacho que estava no meio deles veio a ter grande desejo das comidas dos egípcios; pelo que os filhos de Israel tornaram a chorar e também disseram: Quem nos dará carne a comer? 5 Lembramo-nos dos peixes que, no Egito, comíamos de graça; dos pepinos, dos melões, dos alhos silvestres, das cebolas e dos alhos. 6 Agora, porém, seca-se a nossa alma, e nenhuma coisa vemos senão este maná”. Na hora de provar algo novo da parte de Deus, o maná, o povo teve saudade e desejo do tipo de alimento a que estava acostumado. Isto é, eles tiveram resistência e dificuldade de aceitar os novos paradigmas, visão, ensino, experiências e proposta que o Eterno tinha para eles. Tudo por causa de sua mentalidade “populacha”.

Toda pessoa que tem uma mente “populacha”, a qual significa, uma mente comum, simples, medíocre, pequena, limitada, pobre é um forte candidato a se tornar um murmurador em potencial e nunca experimentar as bênçãos do Eterno sobre sua vida, família e ministério.

Os murmuradores paralisam suas conquistas e levam àqueles que se aliam a eles, a paralisarem as suas também. É importante sabermos que a murmuração assina um futuro de desertos, perdas, morte, fracasso e infortúnio. Porque a murmuração é uma chave que tranca os canais das bênçãos do Eterno na direção da pessoa. Por tanto, livre-se da murmuração e dos murmuradores, se quiser chegar mais longe em sua jornada com Deus. Os murmuradores se tornam adversários de Deus, e a única coisa que eles irão atrair para si, da parte de Deus, será o fogo de sua ira.

4. A MURMURAÇÃO ASFIXIA QUEM DELA SE ALIMENTA.

Deus disse: “...Pelo que o SENHOR vos dará carne, e comereis. Não comereis um dia, nem dois dias, nem cinco, nem dez, nem ainda vinte; mas um mês inteiro, até vos sair pelos narizes, até que vos enfastieis dela...” (Números 11:18-20). Os murmuradores serão asfixiados pela sua própria cobiça. Quem se alimenta de murmuração será asfixiado por ela. A murmuração leva a pessoa a estimular a cobiça e a cobiça, por sua vez, leva ao sepultamento das conquistas.

5. PARADOS PELA COBIÇA.

Durante a caminhada de murmuração rumo a Cades-Barnéia, o povo chegou a um lugar que o definiu como: sepultados pela cobiço. Números 11: 34 “Pelo que o nome daquele lugar se chamou Quibrote-Hataavá, porquanto ali enterraram o povo que teve o desejo das comidas dos egípcios. 35 De Quibrote-Hataavá partiu o povo para Hazerote e ali ficou”. Podemos ver que a murmuração deu entrada para a cobiça na vida dos filhos de Israel, e esta, por sua vez, deu entrada para o sepultamento de muitos deles. Quibrote-Hataavá em hebraico é: "túmulos de cobiça", e ali muitos foram sepultados. Veja que a murmuração abriu as portas para a cobiça, e esta, abriu os portais do cemitério na direção do futuro dos filhos de Israel.

A cobiça leva a pessoa ao túmulo da morte espiritual, emocional e até física. Ela sepulta os sonhos, paralisa as conquistas, destrói os projetos nobres e fracassa as realizações grandiosas no futuro. Alem de anular a capacidade da pessoa para criar, desenvolver ou realizar algo significativo em sua geração. Porque a cobiça impede a pessoa de olhar para si mesmo, de desejar ou aspirar algo por si mesmo e a leva a querer ou usurpar o que não lhe pertence, o que é dos outros. Eles foram detidos pela sua própria cobiça, e assim, muitos têm sido paralisados pela cobiça.

6. ENTRANDO NO TERRITÓRIO DA RESISTÊNCIA À AUTORIDADE ESPIRITUAL

Depois que eles saíram do território da cobiça, partiram para Hazerote um lugar de amotinação e resistência a autoridade. Números 12: 1 “Falaram Miriã e Arão contra Moisés, por causa da mulher cuxita que tomara; pois tinha tomado a mulher cuxita. 2 E disseram: Porventura, tem falado o SENHOR somente por Moisés? Não tem falado também por nós? O SENHOR o ouviu”. Aqui, Miriã e Arão levantaram-se contra Moisés porque ele tinha desposado uma mulher cuxita (negra). A inveja, o ciúme e a resistência entraram em cena, e, eles começaram a questionar a autoridade e decisões pessoais de Moisés, o mentor. Então a lepra entrou na vida e histórico de Miriã, ela ficou leprosa, branca como a neve com a doença (Nm 12:9-12). Estas atitudes negativas de Miriã, Arão e do povo, atrasaram a jornada por muito tempo. Levou um período de sete dias parados no mesmo lugar, este período, representa um tempo, um ciclo na vida e história de alguém.

Assim como a lepra faz no físico de uma pessoa, a lepra espiritual também degenera o caráter, deixa a pessoa sem sensibilidade no espírito, deforma a identidade espiritual do crente com Cristo e com o Espírito Santo.

Então sabemos que em nossa jornada rumo ao lugar da nossa consagração, da nossa Cades-Barnéia, teremos que atravessar a fronteira da resistência à autoridade espiritual, e, temos que passar por ela sem sermos barrados. Ninguém escapará desta fronteira por isso temos que ficar atentos, porque seremos provados, testados e instigados a nos rebelarmos. Também temos que saber que do outro lado está o campo da “lepra”, aguardando para vestir aos que resistem à autoridade espiritual que o Eterno legitimou.

CONCLUSÃO:

Então podemos contar quarenta anos gastos naquela jornada que seria de onze dias. Muitos morreram asfixiados com comida, com doenças intestinais, com lepra...

A nossa jornada para a nossa promessa pode ser pequena, mas pode se tornar uma vida toda, quando o pecado vai junto, quando a murmuração vai junto, quando a desobediência vai junto, quando a rebeldia vai junto, quando a incredulidade vai junto...

Graça e paz!

Ap. Osmarino Correia de Araújo


..Quem escreveu o artigo acima?
Clique para ler este artigo
Ap. Osmarino Araújo
O Apóstolo Osmarino Correia de Araújo é Presidente fundador da Igreja Apostólica Atos II com sede em Jacarepaguá, Rio de Janeiro e Núcleos em outras regiões do Brasil. Também é escritor. conferencista, compositor e ministro de louvor profético, com o CD "Sopra Sobre Nós...", gravado Ao Vivo e O CD "SUBSTITUIÇÃO".

Contatos e Convites:

Telefones:
(21) 3086-6389- Claro fixo
(21) 99981-9410 - Vivo
(21) 98260-6281 - Tim
(21) 98451-8357 - Oi
(21) 97518-1405 - Claro
(21) 2449-9168 (Cx Postal Virtual - Deixar recados)
WhatsApp +51 21 98260-6281

E-mails:
pastorosmarino12@hotmail.com
ap.osmarino12@gmail.com
osmarinoaraujo12@yahoo.com.br

facebook
pastorosmarino12@hotmail.com

Twitter: @Ap_Osmarino/pastorosmarino12@hotmail.com
   

Outros artigos do autor:

6 Poderosas Dicas Que Irão Ressuscitar sua Criatividade
Ordenação apostólica dos Apóstolos Osmarino e Alcilene Araújo
Cobertura (paternidade) Espiritual do Apóstolo Osmarino Araújo
Fraude Espiritual
Significado e Uso do Talit